CASES
Estado Conectado - Um Estado Inteligente

Cenário

Em 2000, 81% dos brasileiros viviam nas zonas urbanas. Em 2010, esse número passou para 84%.
Consequentemente, aumentou o número de pessoas a serem atendidas pelos sistemas de saúde, segurança e educação nas cidades.

 
A previsão é que em 2050, 98% das pessoas vivam em centros urbanos.
Com isso, os problemas como violência, poluição, transporte público, demandas na saúde e outros tendem a se agravar, exigindo aumento significativo de investimento em melhoria na qualidade de vida.
 
Sua região está preparada para gerenciar essas movimentações populacionais?
É possível tornar a vida nas cidades mais sustentável e eficiente através de soluções inovadoras, com mecanismos que ajudem no desenvolvimento de cidades inteligentes.
 
Mas você sabe o que é uma cidade inteligente?
É uma cidade onde há a conexão de pessoas, processos, imagens e dados, transformando diversos aspectos na vida da população. Isso parece uma realidade distante, mas não é. Em diversas partes do mundo, inclusive no Brasil, já existem regiões inteiras investindo na criação de cidades inteligentes.
 
Mas por que ainda é pouco comum ver exemplos de cidades inteligentes?
Essa transformação exige tempo e investimentos em infraestrutura. Primeiro é preciso ampliar a infraestrutura tecnológica, para tornar as conexões de rede mais funcionais, com grande capacidade de banda e alta velocidade, possibilitando a implementação dessas soluções.
Assim, o uso de dados, o tráfego de imagem e voz, resultam na melhoria dos serviços públicos, ampliando a mobilidade das pessoas; conectando-as ao conhecimento. Quando a mobilidade e conhecimento se expandem, a tomada de decisões é mais fácil, o atendimento das demandas é mais rápido. É a conectividade trabalhando para toda a sociedade, aumentando e facilitando o acesso ao conhecimento.
 
 
Funciona com base em 4 pilares:
 
Com uma infraestrutura adequada, que possibilita o acesso de dados, voz e imagem com alta qualidade, velocidade e segurança, padronizada para todos as unidades administrativas do poder público e a população em geral.
 
Com economia, investindo em serviços sob demanda que compõem esse novo modelo. Não há necessidade em investimentos em ativos os quais, além de caros, demandam longos processos burocráticos de compra, alvo frequente de embates jurídicos.
 
Com racionalização dos recursos através da contratação dos serviços sob demanda, a administração pública se concentra em sua atividade fim, ou seja, o atendimento à população com garantia da atualização tecnológica de suas ferramentas de gestão.
 
Com a rapidez da informação facilitando e agilizando a tomada de decisões, a gestão pública fica mais fácil, simples e eficiente.
 
 
  
 
É justamente essa a proposta do projeto estado conectado.
Interligar cidades inteligentes. 
Tornar viável o desenvolvimento de um
estado inteligente, através do aumento da produtividade
e disseminação do conhecimento.
 
 
 
 
 
Qual a vantagem que o projeto oferece que os outros não têm?
 
Ampliar o acesso da população aos serviços públicos. Ampliar o acesso da população ao conhecimento. Agregar novos serviços públicos à população só possíveis através da internet de alta velocidade. Propiciar o aumento da produtividade da economia regional.
 
Parceria Público Privada:
 
É uma parceria público - privada, onde a empresa privada faz o investimento completo e o estado pagará apenas pelos serviços demandados após a implantação da rede.
 
 
 
 
 
 
 
  
Construção do projeto
 
O Estado Conectado, além dos vários quilômetros de cabos de fibra ótica, terá a sua disposição um data center completo que armazenará com segurança os dados, além de equipamentos de última geração como telefonia ip, equipamentos de telemedicina, áudio-video conferência, sistema de wi fi, lousas digitais, portal de educação, portal de saúde, câmeras de vídeo monitoramento, enfim, uma gama imensa de recursos tecnológicos.